Crítica The Handmaid’s Tale S5: June e Serena arrasam em ano robusto

Parece que já passou um século desde a estreia de The Handmaid’s Tale, série de Bruce Miller adaptada a partir de obra homônima de Margaret Atwood. O flagelo constante de June (Elisabeth Moss) e demais pessoas afetadas por Gilead trouxe um peso por vezes quase insuportável para acompanhar. Com a protagonista finalmente fora do país…

Crítica 1899 S1: trama convulsionada

A série alemã Dark tornou mundialmente conhecidos os nomes de Baran bo Odar e Jantje Friese. Com enredo intrigante e envolvente, a produção ficou marcada como uma das melhores do gênero. Suas duas primeiras temporadas foram praticamente perfeitas. Já a terceira revelou aquele que pode ser o maior problema da dupla criadora: uma corrida convulsionada…

Crítica American Horror Story 11: uma bagunça

Quando estreou, American Horror Story logo se transformou em um fenômeno cultural. Ryan Murphy e Brad Falchuk deram um novo significado à palavra antologia, que se popularizou na televisão não apenas com esta atração, mas tantas outras deles e de outros realizadores. Mesmo no auge de seu sucesso, com uma segunda temporada realmente assustadora, a…

Crítica The Crown S5: a habitual excelência na década de Lady Di

The Crown, série criada pelo indicado ao Oscar Peter Morgan com foco na realeza britânica, sempre foi alvo de críticas, pois dramatiza os acontecimentos que cercam Elizabeth, aquela que representou durante décadas o elo entre o humano e o divino – bem, ao menos para os ingleses, já que o seu reinado certamente estava mais…

Crítica Young Royals S2: o drama não fluiu

A narrativa do príncipe e da plebeia é empoeirada. Se for um conto homossexual, melhora? A primeira temporada de Young Royals provou que ainda é possível criar algo bom de uma fonte tão batida. O drama sueco de Lisa Ambjörn, Lars Beckung e Camilla Holter mostrou potencial e virou um hit. Mais de um ano…

Crítica House of the Dragon S1: é bom voltar para Westeros

Game of Thrones foi um fenômeno cultural inegável. Ainda que sua qualidade narrativa tenha começado a decair após a quarta temporada, a audiência foi crescente até o oitavo e derradeiro ano. Todo mundo queria saber quem sentaria por último no Trono de Ferro. Não é nenhuma surpresa que tal apelo com o público tenha motivado…

Crítica Westworld S4: excelente

Pandemia, crises econômica e política, ameaças fascistas, caos. O Brasil recente tem testado a nossa sanidade. Vivemos tanta coisa nesses dois últimos anos que o tempo entre a terceira e a quarta temporada de Westworld parece muito maior do que é. Demorei para começar a mais recente leva de episódios por ter esquecido boa parte…

Crítica The Midnight Club S1: anticlímax

No cinema, existem muitos realizadores os quais o nome precede a obra. Saber que Nope existe muda completamente a expectativa da pessoa quando o título é associado a Jordan Peele. The Fabelmans é um filme obrigatório para a esta temporada de premiações não apenas pelas boas críticas, mas por ser o mais recente de Steven…

Crítica The Rings of Power S1: a série mais odiada do momento

A série The Lord of the Rings: The Rings of Power é a série mais odiada do momento – e pelos motivos errados. Antes mesmo de estrear, causou a fúria de parcela dos fãs pelo simples fato de deixar o elenco menos branco. Aparentemente, a existência de um elfo só é válida se for um…

Crítica Killing Eve S4: fim para esquecermos

Killing Eve, produção televisiva criada pela magistral Phoebe Waller-Bridge com base no livro Codename Villanelle, de Luke Jennings, conseguiu unir em boa parte de sua jornada uma série de elementos que a tornaram ótima: atuações robustas, roteiro instigante com pitadas de humor certeiro, sensualidade, adrenalina e cenários lindos em vários países. Logo, após três temporadas…

Crítica Sandman S1: uma boa atração

Confesso que comecei a assistir à série Sandman, da Netflix, sem muita expectativa. Apesar da adaptação televisiva de Neil Gaiman, David S. Goyer e Allan Heinberg ter uma recepção favorável, meu contato anterior com Gaiman não fora dos melhores. Não gostei de American Gods, tanto o livro quanto a série. A mistureba mitológica do autor…

Crítica Irma Vep: metalinguagem formidável

O filme seriado francês Les Vampires, disponibilizado nos anos 1910, foi um sucesso. Escrito e dirigido por Louis Feuillade, o trabalho de dez partes que totalizam sete horas de duração traz protagonistas que tentam frear a gangue conhecida como Os vampiros – o nome não tem ligação com os seres míticos. Com uma roupa justa…