Crítica Man in an Orange Shirt: a dificuldade para amar

Já próximo ao fim da II Guerra Mundial, Michael Berryman (Oliver Jackson-Cohen), então capitão no exército britânico, reencontra Thomas March (James McArdle), um amigo de infância. Eles rapidamente conectam-se um ao outro e se apaixonam. Com o fim do conflito, vivem uma breve história de amor interrompida pelo casamento de Michael com Flora (Joanna Vanderham,…

Especial: quem amar e odiar em Mr. Selfridge

A série britânica Mr. Selfridge, desenvolvida por Andrew Davies, acompanha a criação e o crescimento da cadeia de lojas de departamento Selfridges, fundada por Harry Gordon Selfridge. Com o início da sua trama em 1909, em Londres, quando foi aberta a primeira loja na Oxford Street, o enredo avança décadas e, durante quatro temporadas, aborda…

Crítica Homeland S7: tensão ininterrupta

Quando estreou, Homeland fez muito sucesso com a crítica e o público. Reconhecimento merecido, diga-se de passagem, pois a atração adaptada por Alex Gansa e Howard Gordon trouxe um ótimo elenco envolvido em uma trama frenética que te faz querer assistir a todos os episódios sem fazer pausas. Cinco Globos de Ouro, inúmeros Emmys e algumas…

Crítica Wanderlust S1: nem tão fácil quanto parece

A terapeuta Joy Richards (Toni Collette) e o professor Alan (Steven Mackintosh) estão juntos há duas décadas e percebem seu casamento abalado pela constatação de que a relação sexual já não funciona bem. Praticamente ao mesmo tempo, acabam traindo um ao outro e contam o que fizeram. A situação mostra-se oportuna para eles tentarem salvar…

Crítica Riverdale S2: adolescência alucinada

A matemática era um tanto simples: se Chilling Adventures of Sabrina, que estreou há pouco na Netflix, é uma agradável surpresa, Riverdale, série igualmente comandada por Roberto Aguirre-Sacasa, também poderia ser. Com esse pensamento em mente, passei a assistir ao drama adolescente da CW. Em sua primeira temporada, que é enxuta, há muita coisa que…

Crítica American Horror Story S8: nostalgia

No ano de sua estreia, American Horror Story, uma criação de Brad Falchuk e Ryan Murphy, deu o que falar. A mistura caprichada de terror e drama encantou e jogou luz para um formato televisivo que logo foi repetido por outras atrações: a antologia. Uma nova temporada, uma nova história. Se Murder House nos apresentou…

Crítica The Haunting of Hill House S1: do terror ao drama

Casas mal-assombradas fazem parte do imaginário popular de terror há tempos. Há muitas que acabam ficando famosas e viram até atração turística. Na ficção, por sua vez, a popularidade é a mesma. Logo, não é um tema que vai despertar a curiosidade de qualquer pessoa por ser algo diferente daquilo que já temos aos montes…

Crítica The Sinner S2: rituais e mortes

Após se tornar uma das produções televisivas com melhor recepção do público no ano passado, The Sinner, minissérie prevista para ter temporada única, foi renovada para um segundo ano. Nesta nova safra de episódios, a produção de Derek Simonds deixou de lado o caso de Cora Tannetti (Jessica Biel), que eventualmente é mencionada, e levou…

Crítica Pose S1: a mãe do ano

O que é família? Há quem insista que é um homem, uma mulher e seus filhos biológicos. Conceito atrasado e excludente. Família é muito mais do que isso. É amor, afeto mútuo, respeito, apoio. É poder viver a sua verdade e permitir que os outros vivam as suas. Abraçar e ser abraçado por aqueles com…

Crítica House of Cards S6: a vitória amarga de Claire

Após uma quinta temporada com qualidade questionável, House of Cards esteve em meio a uma polêmica para além da sua narrativa ficcional. Com as denúncias de assédio sexual que pesaram sobre Kevin Spacey, então protagonista, o ator foi afastado da produção e coube a Robin Wright, que encarna Claire Underwood, tomar de vez o comando…

Crítica The Man in the High Castle S3: o horror do fascismo

Já imaginou como seria o mundo se a Alemanha e o Japão tivessem vencido a II Guerra Mundial? Situada nos anos 1960, a série The Man in the High Castle, criada por Frank Spotnitz com base no livro homônimo de Philip K. Dick, apresenta uma realidade alternativa onde o fascismo espalha medo entre a população….

Crítica Sharp Objects: cicatrizes que carregamos

Camille Preaker (Amy Adams) é uma repórter que abusa do álcool para remediar as dores que carrega consigo há anos. A morte da sua irmã, ainda na infância, e a relação complicada com a mãe foram alguns dos fatores que a levaram a cometer atos contínuos de autoflagelo, inclusive fazendo com que ela fosse internada…