Especial: 5 personagens transexuais marcantes

Uma revolução trans. Na última década, a ficção televisiva, ainda que imperfeita, deu um salto enorme na representatividade da transexualidade. Após fazer o compilado de 10 casais gays que amamos, o Temp continua sua série de especiais no universo queer.

Se gays, lésbicas e bissexuais ganharam mais visibilidade na primeira onda de inserção LGBTQIAP+ na TV, transexuais chegaram com força nos últimos tempos e dão continuidade a um processo que envolve cada vez mais pessoas invisibilizadas, como não binárias e assexuais.

Abaixo, confira cinco personagens importantes para essa mudança de perspectiva na ficção sobre narrativas trans:

Sophia Burset (Laverne Cox), em Orange is the new black

Eu nunca vou esquecer da alegria que senti ao ver Laverne, atriz trans intérprete de Sophia, estampando a revista Time. Ou quando ela foi indicada ao prêmio de melhor atriz convidada no Emmy, fazendo história. Eu sempre senti tanta empatia por ela porque Orange is the new black fez eu sentir empatia por sua personagem. Era tão fácil se apaixonar por Sophia, assim como por tantas outras protagonistas de uma produção muito diferente do que éramos acostumados a ver. Burset é, sem sombra de dúvidas, uma personagem icônica. E ver Laverne Cox brilhando atualmente em outras atrações é lindo.

Blanca Evangelista (Michaela Jaé Rodriguez), em Pose

A série que fez história dentro e fora das telas. Pose é um marco televisivo tratando-se de representatividade trans, com recorde de atrizes transexuais trabalhando em um drama. Seu enredo não é apenas inclusivo, mas forte e digno de ser acompanhado. Por meio de Blanca, presto homenagem a tantas outras figuras marcantes, como Elektra e Angel. Destaco a mãe do ano pela doçura da personagem e pelo desempenho da atriz – se Cox foi a primeira trans a concorrer ao prêmio de atriz convidada, MJ foi a primeira a concorrer ao prêmio de melhor atriz principal na categoria drama no Emmy e no Globo de Ouro, vencendo na última premiação referida. Reconhecimento merecido.

Maura Pfefferman (Jeffrey Tambor), em Transparent

Certamente a escolha mais polêmica, já que a personagem foi interpretada por um homem cisgênero que, diga-se de passagem, foi afastado da atração após denúncia de assédio sexual. Entretanto, se Tambor merece as críticas, gostaria de descolá-lo de Maura, que foi uma personagem de imensa importância. Transparent como um todo foi uma atração com grande sensibilidade e dialogou com diferentes temas poderosos. Tanto que eu escrevi, durante a pós-graduação, um artigo sobre a série (você pode conferir aqui).

Jules Vaughn (Hunter Schafer), em Euphoria

Uma representante da nova era, na qual a questão da transexualidade é vista com maior naturalidade e seus dramas ganham traços mais diversos. Jules tem o direito de amar e errar, assim como os demais adolescentes da trama. Vale ressaltar o trabalho primoroso de Schafer, principalmente na segunda temporada. Se oportunidades aparecerem, prevejo um futuro promissor para a atriz.

Theo Putman (Lachlan Watson), em Chilling Adventures of Sabrina

O único personagem transhomem da lista. O jovem passa pela fase de transição durante a série, que o trata com respeito e pode servir de farol para muitos menores de idade que enfrentam dificuldades com a identidade de gênero. Como poucas vezes vi um homem trans em atrações, gostaria de deixar o link da Out, que traz outros exemplos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s