Especial: Troféu Temp 2021

Mais um ano desolador: 2021, período pandêmico de forte turbulência política e econômica, testou nossa resiliência. Soma-se a isso a expectativa de um futuro não muito melhor e temos o cenário perfeito de desesperança. Em meio ao caos, a cultura é tábua de salvação. Tivemos produções potentes que deram cor a nossas vidas e precisam ser festejadas.

Após coroar The Queen’s Gambit como melhor atração de 2020, o Troféu Temp alcança sua quinta edição. Abaixo, o criador do Temporada, Douglas Roehrs, apresenta as suas escolhas para produções de destaque em 2021.

Melhor atração do ano: The Underground Railroad

A verdadeira face da América foi revelada em uma minissérie magnífica criada por Barry Jenkins a partir de livro homônimo de Colson Whitehead. Um trabalho primoroso dividido em 10 episódios com direção impecável.

Antes da abolição da escravatura nos EUA, que ocorreu em 1865 após uma guerra civil, abolicionistas criaram uma rede de rotas secretas e abrigos para ajudar escravos a fugirem para estados onde pudessem ser livres ou para o Canadá. Esse sistema de fuga ficou conhecido como underground railroad. Ainda que não fosse uma ferrovia subterrânea, John Rankin, famoso abolicionista “condutor” à época, disse que “foi chamado assim porque quem tomasse passagem desaparecia publicamente como se fosse de fato para debaixo da terra”. Whitehead, em seu livro publicado em 2016, tomou a liberdade criativa de transformar a rota em uma literal rede ferroviária no subsolo. Assim, quando sua protagonista inicia a fuga em direção à liberdade, acaba sendo levada para debaixo da terra em uma trama que merece ser conferida por todos.

Segunda melhor atração do ano: The Great

Com humor ácido, elenco afinado e direção de arte impecável, a série criada por Tony McNamara traz elementos verdadeiros da jornada de Catherine The Great, imperatriz da Rússia durante os anos de 1762 a 1796, ainda que deslocados no tempo e misturados com farta dose de ficção. Há uma excentricidade adorável em cada diálogo. Qualquer cena em princípio banal carregue consigo situações deliciosamente absurdas. Imperdível.

Terceira melhor atração do ano: The White Lotus

A minissérie criada, escrita e dirigida por Mike White trouxe humor, tensão e loucura para hóspedes e trabalhadores do estabelecimento mais requisitado da HBO no verão norte-americano. Despretensiosa, a atração nos seduz com seu canto de sereia – e se os protagonistas são jogados contra as rochas, nós assistimos a tudo com felicidade.

Melhor episódio: Something Old, Something New (Pose)

A série criada por Ryan Murphy, Brad Falchuk e Steven Canals é um marco televisivo. Festejou a comunidade LGBTQIAP+ dentro e fora das telas. Ainda que a terceira temporada tenha sido fraca e desconexa, o episódio focado no casamento de Angel e Lil Papi é tão bonito que está acima de qualquer crítica.

Melhor performance do ano: Jean Smart (Hacks)

A série simplesmente não seria a mesma sem ela, que brilha como poucas. Smart tem um timing cômico perfeito e merece ovação – quatro minutos de palmas no mínimo, cinco no máximo, conforme recomendado. É ajudada por um roteiro que consegue unir tiradas ousadas sem perpetuar preconceitos batidos. Traz um frescor progressista, ainda que às vezes pareça lutar contra o tempo.

Segunda melhor performance do ano: Kate Winslet (Mare of Easttown)

A atriz vencedora do Oscar é a alma do projeto e carrega com determinação as dores da protagonista da minissérie. Do seu sotaque aos pequenos detalhes em cada cena, como a forma como se alimenta, ela constrói uma figura que, ainda que muitas vezes rude, nos desperta empatia.

Terceira melhor performance do ano: Hamish Linklater (Midnight Mass)

Ao encarnar o padre Paul, o ator seduz não apenas os morados locais, mas o público. É uma das entregas mais poderosas deste ano. Os sermões do seu personagem são apaixonados, inflamados, potentes. O ator brilha e atrai todo foco para si quando surge em cena na minissérie.

2 comentários Adicione o seu

  1. joão carlos castanha disse:

    Desde Downton Abbey…eu não gostava de uma serie como esta ..The Great…o elenco..direção e roteiro impecável..um humor ácido…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ela é maravilhosa mesmo. Fico feliz em saber que outra pessoa gosta tanto quanto eu. Beijos!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s