Crítica Desventuras em Série S1: triste história

Após perderem os pais em um misterioso incêndio, Violet (Malina Weissman), Klaus (Louis Hynes) e Sunny Baudelaire (Presley Smith) embarcam em uma aventura nada animadora. Órfãos, precisam se adaptar a uma realidade na qual a fortuna herdada vira chamariz para as mais diversas crueldades.

Desventuras em Série, produção baseada em coleção de livros homônima, acompanha a saga dos três irmãos, muito espertos e cativantes. Todos se sobressaem em algum quesito – com destaque para a pequena Sunny, que sabe usar seus pequenos dentes como ninguém e é incrivelmente fofa.

A nova produção da Netflix acerta em cheio com sua estética única. As direções de arte e de fotografia são maravilhosas, sendo que é extremamente agradável quando a câmera transita pelos cenários.

O elenco como um todo também se sai muito bem, com destaque para Neil Patrick Harris. Seu Conde Olaf é tão prazeroso de assistir quanto o vivido por Jim Carrey no cinema. No entanto, é prejudicado, assim como os demais personagens, pelo grande problema da série: não conseguir entreter.

Com exceção do primeiro episódio, no qual se gasta mais tempo apresentando a história, os capítulos são um tanto maçantes, repetitivos. As narrações de Lemony Snicket (Patrick Warburton), inicialmente interessantes, logo acabam soando como interrupções quase sempre desnecessárias.

O roteiro não se empenha em nos sensibilizar, tampouco em arrancar sorrisos sinceros. Para piorar, traz subtextos adultos de maneira irresponsável, já que não os trabalha com o devido cuidado em meio às tramas infantilizadas.

Não há problema algum em buscar soluções fáceis que agradem o público infantil. Entretanto, ao escolher esse caminho, não deveria trazer, por exemplo, falas como a de um dos capangas de Olaf, que disse durante jantar o quanto Violet – que é uma criança, vale ressaltar – é “bonitinha”.

Em tela, além desse indicativo de pedofilia, temos crianças que sofrem agressões verbais e físicas, trabalho infantil, constantes homicídios etc. Tudo sem muitos questionamentos.

Desventuras em Série está longe de ser ruim, mas falha gravemente ao ter oito episódios sem profundidade e que demoram uma eternidade para acabar.

 

Nota (0-10): 6

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. SEIS? ESTÃO LOUCOS? VALE NO MÍNIMO 8,5… só vocês estão certos com essa crítica e o resto do mundo errado, né? ruM!

    Curtir

    1. Olá, Washington. É bacana quando há uma pluralidade de opiniões. No texto, foram dados os motivos para a nota – que não é tão ruim assim. Por exemplo: Westworld, que foi incrível, ganhou 8. Nos critérios do Temp, uma nota realmente ruim seria abaixo de cinco. De qualquer forma, toda opinião contrária será bem-vinda. Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s